Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

yes

404

We Are Sorry, Page Not Found

Home Page
Durante o seu desenvolvimento uterino o bebê desenvolve os seus sentidos, a audição permite-lhe identificar e familiarizar-se com o mundo exterior. Os estudos revelam que os sons que o bebê consegue ouvir no interior da barriga podem ter um grande contributo no seu desenvolvimento inteletual e podem ajudar a ficar mais calmo nas primeiras semanas de vida, em situações que podem criar mais desconforto, como nas cólicas, fome, fralda suja ou úmida, frio, calor, sono, dores, irritação, cansaço, necessidade de arrotar, sustos ou reação emocional.

Os ruídos intra uterinos e o ruído branco

O bebê dentro do útero ouve os ruídos do meio envolvente, de forma diferente, pois a proteção acústica que o útero fornece corta as algumas frequências e uns ruídos sobrepõem-se a outros. Esta sobreposição de ruídos chamam-se ruídos brancos. Os ruídos brancos são barulhos constantes que oculta os barulhos externos.

Por exemplo: o bebê no ventre materno ouve os batimentos cardíacos maternos com maior intensidade, este ruído sobrepõem-se a outros ruídos externos, deixando-o mais calmo e sereno. Outros exemplos de ruídos brancos que podem até nos facilitar o sono em situações de insónia são sons da natureza como o cair da chuva, ondas, sons da floresta, animais, pessoas a conversar e alguns equipamentos como aspiradores, secadores, ventiladores, ar condicionado e exaustor. 

Os ruídos brancos devido à sua densidade espectral, quando ouvidos a baixo volume, têm ação relaxante.

Acalmar os bebês com ruídos brancos

Muitos bebês acalmam com o barulho de alguns equipamentos como aspiradores, secadores, ventiladores, ar condicionado e exaustor. Podemos ainda usar apps, com ruídos brancos e sons uterinos, ou mesmo canais de televisão para bebês.

Fontes bibliográficas
Comente...

Olá, pode deixar seu comentário... se lembre que a informação neste post é apenas para aumentar seu conhecimento sobre o tema... não deixe de procurar seu médico... muito obrigado... Carlos Edgar