sexta-feira, abril 17, 2015

Diane 35®, duvidas sobre o risco de trombose e embolia

Diane 35®, duvidas sobre o risco de trombose e embolia

O medicamento diane 35® está indicado no tratamento do acne moderado a grave e hirsutismo em mulheres em idade fertil. A diane 35® tem uma acção anti androgénica diminuindo as características androgénicas na mulher (características masculinas como o acne, pele e cabelo oleosos, excesso de pelos e queda de cabelo). A diane 35® não deve ser usada em conjunto com outros anticoncepcionais, pois a sua combinação hormonal confere à mulher protecção contracetiva.

A diane 35® tem na sua composição 2,0 mg de acetato de ciproterona e 0,035 mg de etinilestradiol.

Tratamento com diane 35®

A duração do tratamento com diane 35® não deve ultrapassar os 6 a 9 meses, regra geral 3 meses são suficientes para a mulher sentir alívio dos sintomas (fica com a pele e cabelos mais limpos). Depois do tratamento a mulher deve seguir as indicações de seu médico. As mulheres que querem continuar a obter os benefícios para a pele e uma contracepção eficaz devem optar por um anticoncepcional e abandonar a diane 35®.

Porque devemos parar de usar a diane 35® como anticoncepcional?

O uso de diane 35® tem como principal objectivo o tratamento do acne e hirsutismo, a contracepção é um efeito secundário. A diane 35® confere à mulher estas duas vantagens devido à sua composição hormonal que é bastante elevada dai ser aconselhado a sua mudança, após concluir o tratamento. A principal razão para a mulher não usar a diane 35® e as pilulas com ciproterona (selene®, diclin®, tess®, lydian®ferane35® e artemidis 35®) são as suas elevadas dosagens hormonais que aumentam em muito o risco de trombose na mulher.

Risco de TEV (tromboembolismo venoso) com diane 35®

A diane 35® tem um risco aumentado de tromboembolismo venoso, especialmente no primeiro ano de utilização, após uma pausa de 4 ou mais semanas, quando a mulher tem mais idade, sofre de enxaquecas, tem tensão alta, é obesa, tem colesterol elevado ou fuma. Os estudos revelam que o risco de tromboembolismo venoso, com diane 35®, é 1,5 a 2 vezes maior comparando com os contracetivos orais combinados, contendo levonorgestrel, e muito similar aos contracetivos orais combinados, desogestrel, gestodeno ou drospirenona.

Mudar de diane 35® para qual anticoncepcional

O risco de tromboembolismo venoso de diane 35® é um grande motivo para a mulher após o tratamento mudar para outro anticoncepcional com menor dosagem, logo com menor risco. A mulher deve falar com o seu médico e ser acompanhada durante esta mudança.

E se meu corpo não se adaptar?

A duração do tratamento com diane 35® pode ser prolongado pelo seu médico, o que vai fazer com que o seu corpo se adapte a uma dosagem hormonal enorme e note melhorias em sua pele e cabelo. Devido a esta adaptação o seu corpo pode estranhar a mudança para uma pilula com menor dosagem, e sua pele e cabelo se ressentirem.

Ao mudar a mulher deve ter a noção que é muito melhor para sua saúde e seu corpo pode demorar até 4 meses a se adaptar ao novo anticoncepcional, nesta fase de adaptação pode notar o aparecimento de alguns efeitos secundários e até um retomar das alterações na pele e cabelo (acne, oleosidade e queda). (Melhor pilula para o acne)

Confie em seu médico e tenha paciência a mudança pode demorar mas é um beneficio para sua saúde.


Fontes bibliográficas
infarmed.pt
Partilhe

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigado por colocar o seu comentário... proteja a sua privacidade.