-->

Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

Home Layout Display

Posts Title Display

404

We Are Sorry, Page Not Found

Home Page
O medicamento ciclofemme® é um anticoncepcional indicado na prevenção da gravidez e no controle dos ciclos menstruais irregulares. O anticoncepcional ciclofemme® tem em sua composição hormonal dois tipos de hormônios sintéticos, é um anticoncepcional combinado.

Composição hormonal do anticoncepcional ciclofemme®: levonorgestrel 0,15 mg + etinilestradiol 0,03 mg, outros excipientes do comprimido: amido, cera de carnaúba, corante óxido de ferro amarelo, croscarmelose sódica, dióxido de titânio, estearato de magnésio, glicerol, lactose, macrogrol, povidona, sacarose, cloreto de metileno, álcool etílico, carbonato de cálcio, água purificada e talco.

Como iniciar o anticoncepcional ciclofemme®

O anticoncepcional ciclofemme® deve ser iniciado no 1° dia da menstruação. O anticoncepcional ciclofemme® pode ser iniciado entre o 2° e o 5° dia da menstruação, mas nesse caso deve-se proteger até ao 7° comprimido da cartela.

Como tomar o anticoncepcional ciclofemme®

O anticoncepcional ciclofemme® deve ser tomado todos os dias, no mesmo horário, durante 21 dias - 21 comprimidos, depois faz uma pausa de 7 dias e ao 8° dia reinicia nova cartela. Durante a pausa deverá menstruar.

Efeitos adversos mais comuns do anticoncepcional ciclofemme®: dor de cabeça (enxaqueca), sangramento de escape ou spottingvaginite (candidíase), alterações de humor (depressão), alterações de libido, nervosismo, tonturas, náuseas, vômitosdor abdominal, acne, dor e aumento das mamas, cólica menstrual, alteração do fluxo menstrual, alteração do muco cervical, falta da menstruação, inchaço e alterações de peso.

Medicamentos que interferem com o anticoncepcional ciclofemme®

Os medicamentos que podem interferir com o anticoncepcional ciclofemme® são: rifampicina, rifabutina, barbitúricos, fenilbutazona, fenitoína, dexametasona, griseofulvina, topiramato, erva de São João, ritonavir, ampicilina, outras penicilinas e tetraciclinas.

Fontes bibliográficas
anvisa.gov.br